Anthony Breznican · Resenha

Juventude Brutal, Anthony Breznican

unnamed

sinopse

Quando Peter Davidek é matriculado na escola católica St. Michael, a escola já colhe a reputação de ter se transformado em depósito de delinquentes e abrigo de religiosos estridentes. Em seu primeiro dia de aula, as tensões explodem: um aluno perde a cabeça e desfere um ataque violento contra os colegas que o atormentavam e contra os professores, que sempre assistiam a tudo sem tomar nenhuma providência. Nesse ambiente desesperador, Davidek se torna amigo dos também calouros Noah Stein, um garoto instável que leva no rosto as cicatrizes de um passado difícil, e Lorelei Paskal, uma menina linda e solitária que, empenhada em se tornar popular, só consegue fazer inimigos.

Para conseguir sobreviver ao primeiro ano na escola, o trio junta forças contra a cultura do bullying perpetuada por funcionários como a amarga srta. Bromine e o padre Mercedes, que usa os alunos como bode expiatório para desviar dinheiro da igreja.

Skoob | Goodreads

oqueeuachei

978-85-7881-285-0-BAIXA

Juventude Brutal foi uma surpresa super legal enviada pela editora Pavana para mim! Quando fiz o post indicando a leitura e comentei que ele estava na minha lista de desejados, eles me enviaram um exemplar para resenha! Demorei um bocado para terminar, mas finalmente posso vim contar para vocês o que achei e só posso dizer uma coisa: foi uma leitura que valeu a pena!E Juventude Brutal faz jus ao título: é brutal. Extremamente bem escrito – ou no caso, bem traduzido também -, ele nos transporta para a vida de Davidek, Lorelei, Stein e todos os personagens citados no livro, de alguma forma. Fora que o clima durante toda a leitura, além do drama é de suspense, o que dá um toque todo especial.

Narrado em terceira pessoa, ele não apenas nos dá um conhecimento profundo dos personagens centrais, como também dos secundários. Nele, não apenas os adolescentes são o foco, como também os adultos e com isso, acabamos conhecendo o passado de várias pessoas envolvidas com a escola. E para mim, esse foi um dos fatores mais marcantes na leitura. 

No entanto, vou confessar que foi um dos livros que mais demorei para conseguir terminar. Juventude Brutal é um livro…denso. Os momentos de alegrias são muito escassos, praticamente não existem. Breznican não quer saber de passar a mão na cabeça do leitor ou que ele esqueça o foco principal da história: o bullying e a falta de atitude e corrupção dos adultos. É um livro excelente, mas por outro lado, pesa um pouco e às vezes é preciso dar um tempo na leitura. Ele vai cutucar, ele vai te trazer diversas sensações, especialmente tristeza e raiva.

Os personagens centrais são os calouros Lorelei, Stein e Davidek, esse último é onde o foco maior se encontra e quem nós primeiro conhecemos. Entretanto, eles nos são apresentados aos poucos, de forma que aprendemos quem eles eram antes de entrarem na St Michael, conhecemos um pouco de suas famílias e podemos conhecer um pouco de seus pensamentos. Com excessão talvez de Stein, ele é um mistério durante boa parte do livro e nunca chegamos a conhece-lo de fato – e não vou negar, foi meu personagem favorito do livro.

Os adultos são extremamente revoltantes e basicamente todos os responsáveis pela escola. Quase todos eles são corruptos e colocam seus desejos acima do que está acontecendo na escola, os que não o fazem, são quase que covardes demais para tomarem alguma atitude. Mesmo quando as coisas chegam a pontos extremos, eles preferem deixar tudo por baixo dos panos apenas para protegerem seus interesses pessoais. E vou confessar, essa é a coisa mais revoltante de todo o livro e também, o que o deixa com um ar tão real que dói. Muito. 

A gente passa todo o livro desejando para que eles tenham alguma atitude em relação ao que está acontecendo, mas repetidamente eles se recusam a mover um dedo. E no final de tudo, as coisas acontecem de forma que é no mínimo interessante e não exatamente uma surpresa.

Além do trio de calouros, alguns personagens tem uma importância quase tão grande quanto eles. Não vou me aprofundar, já que isso seria um pouco de spoiler, o interessante é conhecer e se aprofundar nesses personagens aos poucos, mas Hannah, Sarah/Sete-Oitavos, Smitty e Green merecem ser citados e os nomes aqui nessa resenha porque todos eles são quase tão interessantes quanto.

notacoisalindaconsideracoesfinaisJuventude Brutal é considerado como YA, mas na minha opinião está longe de ser isso. Ele é extremamente realista e com certeza vai mexer com o leitor e causar diversas emoções. É um livro difícil de ler e não no sentido de palavras ou vocabulário e sim na forma sincera e brutal de sua narrativa.

Breznican escreveu um livro excelente, seu ponto mais negativo é que ele se torna pesado e denso de ler porque quase não há momentos de alívio para tudo negativo que acontece.

recomendoIndico Juventude Brutal para todo mundo. Sério, haha. Há o risco dele ser pesado e denso demais para muitas pessoas, mas falo para darem uma chance para ele, é extremamente bem escrito e Breznican fez um trabalho excelente!

postflavia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s