Katie Cotugno · Resenha

Resenha: Duas Vezes Amor, Katie Cotugno

unnamed

sinopse

Antes:

Reena Montero é apaixonada por Sawyer LeGrande desde que se lembra, é algo natural como respirar e interminável como o tempo. Mas ele nunca pareceu nota-la, até que um dia o faz. Sawyer e Rena acabam se envolvendo em uma relação complicada até que Sawyer desaparece deixando uma Reena devastada e grávida para trás. 

Depois: 

Quase três anos se passaram e tem um novo amor na vida de Reena: sua filha, Hannah. Ela se acostumou com a ausência de Sawyer e finalmente está conseguindo lidar com essa estranha e inesperada vida. Mas assim como desapareceu, Sawyer retorna e Reena não quer nada com ele, mesmo que estivesse mentindo se falasse que a volta dele não mexesse com ela.

Depois de tudo que aconteceu, Renna seria capaz de se deixar amar Sawyer LeGrande novamente?  

SkoobGoodreads

oqueeuachei22054641

Duas Vezes Amor é um livro que me conquistou desde o primeiro momento em que vi a capa e li a sinopse (duas vezes, já que vi por aí em inglês e quis ler, até me dar conta de que era o mesmo livro e no fim, achei a original melhor e acabei traduzindo para a resenha, hehe) e quando finalmente peguei para ler…fiquei completamente decepcionada. A começar pela montagem da história e a omissão de diversos pontos importantes. Cotugno escreve em capítulos alternados entre o “antes” e “depois”, de forma que deveria explicar para o leitor como tudo entre Reena e Sawyer começou, terminou e reinicia. No entanto, apesar disso, a autora parece simplesmente ter esquecido de alguns detalhes importantes para o leitor, já que eram citados diversas vezes: como Reena engravidou e toda relação com sua família depois que isso aconteceu.

E vou dizer uma coisa: quando a gente pega o livro para ler, ficamos curiosos para saber como aconteceu, mas simplesmente o fato é omitido da história e isso faz muita falta, especialmente se contar pela personalidade extremamente certinha e perfeccionista da Reena, que levam automaticamente a pensar que ela seria responsável o suficiente na sua vida sexual – já que o era com tudo – então, quando simplesmente não há uma parte mais “explícita” de como ela acaba engravidando, isso acaba deixando um ENORME vazio. 

E claro, não podemos esquecer da personalidade da Reena, uma narradora extremamente chata! E infantil e sem personalidade nenhuma basicamente. Mas tudo bem, muitos livros tem um narrador chato e acabam salvos por personagens coadjuvantes legais e/ou pelo par romântico apaixonante e que conquista todo mundo, certo? 

É isso não acontece com Duas Vezes Amor. Nem um pouco. Mas vamos por partes. Por que eu não gostei da Reena exatamente? Além da infantilidade e da chatice citadas ali em cima, digamos que ela não evolua em nada conforme a história avança. É normal entrarmos em contato com personagens super imaturos, chatos e irritantes em começo de livros, mas com o passar da história e da vida, eles superem esses problemas para amadurecer…mas a Reena?  

Ela repete os mesmos erros do passado, sua mentalidade não mudou nada, apesar da vida der lhe dado um triplo choque: a perda de alguém muito próximo, o abandono de Sawyer e a gravidez inesperada. Fora um namorado extremamente conturbado e problemático como o Sawyer é – mas falo dele daqui a pouquinho. Resumindo, ao invés de aprender algo, ela simplesmente reclama o tempo todo e repete os mesmos erros e age feito uma criança. Ela tem 18 anos, mas age exatamente da mesma maneira que agia com 15 anos que é quando a história começa. Basicamente, parece que não se passou nenhum tempo, apesar de três anos terem se passado e isso foi mais uma falha da autora na hora de compor a história.

E o Sawyer…o que falar dele? Digamos que ele é o cara mais canalha que tem. As atitudes babacas dele começam assim que ele e Reena começam a se envolver – e digamos que também, não é nada legal da parte dela – e apenas só evoluem para pior. Tudo bem, há uma justificativa para isso, mas ela não é o suficiente, especialmente porque mesmo depois de seu retorno e “redenção”, ele já causou tanta antipatia e é tão sonso que não deu para torcer por ele nem um minuto.

Especialmente quando vamos descobrindo a maneira que ele tratava Reena quando namoravam, antes dele desaparecer: ele dava em cima de outras meninas na frente dela, vivia drogado, arrastava-a para locais que ela não suportava e deixava-a sozinha durante horas. E o pior, quando retorna, em nenhum momento pede desculpas ou tenta se explicar…e mesmo quando alguma explicação acontece, mostrando um pouco do “lado dele da história”, não dá para simpatizar. Reena erra em diversos momentos e tem atitudes idiotas e egoístas, mas em nenhum momento elas chegam aos pés da personalidade babaca do Sawyer.Há alguns personagens secundários na história? Sim, alguns deles são bastante centrais e importantes, mas isso tudo diminui com o relacionamento conturbado do casal principal, a ponto que depois de um tempo de leitura, eles são completamente deixados de lado e aparecendo de vez em quando apenas para dar uma aliviada nas partes em que Reena e Sawyer estão lidando com seus dramas. 

notaruimregularconsideracoesfinaisDuas Vezes Amor é um livro com uma premissa extremamente cativante e que realmente parece bom, mas com personagens principais tão chatos, simplesmente não dá para se apaixonar pela leitura. É um romance, mas em nenhum momento eu torci para que o casal principal ficasse junto, pelo contrário, minha torcida o tempo todo foi para que a Reena abrisse os olhos e desse logo um pé na bunda dele. 

recomendoQuem curte romance contemporâneo pode gostar de Duas Vezes Amor. Mas sinceramente? Não é um livro que eu recomendaria..

postflavia

Anúncios

4 comentários em “Resenha: Duas Vezes Amor, Katie Cotugno

  1. Oi! Ah verdade, mas meu maior problema são personagem sem personalidade, as certinhas não me irritam…coisa que a Reena não tem nem um pouco e assim, basicamente é uma relação abusiva e sabe, não gosto de livros que idolatram esse tipo de relacionamento, então Duas Vezes Amor foi uma leitura MUITO frustrante pra mim hahaha Ah, espero que encontre um livro bem legal e com personagens sensacionais! ❤
    Beijão!

  2. Droga, detesto essas personagens extremamente certinha E sem personalidade. Aqui, salva-se a Nora (Série Hush hush) por ser uma chata certinha, mas curiosa/ inteligente/corajosa. Por enquanto nem vou tentar a leitura de DUAS VEZES AMOR, pois estou a procura de personagens fortes 🙂
    Otima resenha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s