Resenha · Tahereh Mafi

Resenha: Estilhaça-Me, Tahereh Mafi

estilhacame

 

Estilhaça-Me foi um livro que entrou na minha lista de leitura há muito tempo, mas que eu sempre acabei adiando a leitura. Quando vi que o último livro da trilogia será lançado em breve em português, decidi finalmente me render a essa distopia de Tahereh Mafi que sempre ouvi falar muito bem e posso avisar que ela não decepcionou nem um pouco.

sinopse

Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro. – Skoob

oqueeuachei

A narrativa é dinâmica e em diversos momentos até soou um tanto poética e isso foi o que mais gostei. O enredo tem todas as características de uma distopia, com alguns toques particulares da autora que funcionaram muito bem. A fórmula de escrita usada por Mafi prende e apaixona o leitor, mas pode causar um pouco de estranheza em seu início. É uma pena que no segundo livro, toda a magia da escrita tenha desaparecido um pouco, mas isso é assunto para outra resenha, haha.

Os personagens são cativantes e a maneira que eles aparecem na história faz com que nos interessemos por eles de maneira bem natural. Primeiro conhecemos apenas Juliette, a perturbada narradora. Ela sofreu muito, passou grande parte da vida em instituições e há um ano está trancada em uma pequena cela, além de ter passado por diversos abusos psicológicos de colegas e inclusive seus pais. Juliette é frágil, porém ao mesmo tempo demonstra uma força que apenas quem passou pelo que ela passou poderia possuir. Suas oscilações entre fraqueza e força ocorrem na medida certa, tornando-a uma personagem muito fácil de se gostar e se apegar. Adam é o segundo personagem a aparecer na história e pouco sabemos sobre ele, mas conforme tudo avança, é impossível não acabar se apaixonando um pouquinho por ele. Warner é outro personagem importante para a história, mas falarei mais sobre ele mais para frente.

estilaame

Este primeiro livro da trilogia é uma apresentação de toda a história. Conhecemos Juliette e os outros personagens, descobrimos o que a sociedade se tornou, no entanto enquanto estamos em meio estas descobertas, o romance tende a ocupar um espaço muito grande e em diversos momentos da leitura, senti que os detalhes estavam nas cenas românticas ao invés de na história. Diversas coisas pareceram passar rápido demais, inclusive o aprofundamento de personagens, como o Warner. Ao terminar a leitura do livro, me dei conta que ele seria muito importante para a história (caso contrário não haveria um conto dedicado à ele) nas próximas leituras, mas eu sinceramente não consegui sentir sua importância em momento nenhum, a não ser no finalzinho e por conta de uma palavra. De resto, ele só pareceu uma pedra no sapato porque todos os momentos em que Juliette passou com Warner se resumiram em uma quase cópia dos anteriores com centenas de “psicopata” e “te odeio” vindos de Juliette.

Fiquei surpresa ao constatar a importância dele para a história quando para mim, Mafi não me passou em nenhum momento a importância do personagem e ao invés de me surpreender apenas, eu senti como se faltasse algo que concedesse uma ligação com o personagem no livro (devo acrescentar que no segundo volume, Liberta-Me isso acontece e claro, também há o conto Destrua-Me).

consideracoesfinais

Estilhaça-Me é um livro que prende do inicio ao fim, sua narrativa é envolvente e apaixonante (embora possa causar um pouco de estranheza no início). O livro pecou em se aprofundar demais no romance e deixar de lado alguns acontecimentos e personagens, mas é impossível de largar e seu conteúdo acaba superando os defeitos. Amantes de distopias YA regadas de romance vão adorar esta trilogia!

 

flaviaavatar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s